A primeira lesão grave das Olimpíadas 2016

  • 7 de agosto de 2016

gettyimages-586431666No primeiro dia de competição da ginástica artística nas Olimpíadas do Rio 2016, o mundo presenciou o acidente do atleta francês Samir Ait Said, o mesmo tipo de lesão que o atleta de MMA Anderson Silva sofreu em 2013, a fratura da tíbia.
Esse tipo de fratura pode ocorrer durante certos tipos de atividades esportivas como uma queda de um salto, que provocam uma força de impacto na parte anterior e interior da perna e no tornozelo.
Quando este trauma excede a resistência do osso, pode resultar em uma ruptura do osso
Para quebrar o osso da tíbia é necessário um impacto muito forte, portanto esta fratura ocorre frequentemente em combinação com outras lesões, como rompimento de ligamentos e distensão muscular.
O tratamento para esse tipo de fratura é cirúrgico, na qual é colocada uma haste de fixação entre as das partes da tíbia que se quebrou.
O tempo de recuperação para esse tipo de lesão é longo, são 5 meses para a consolidação óssea e inicio da fisioterapia que consiste em ganho de força muscular, amplitude de movimento e equilíbrio, e um ano para a retirada da haste.