Canelite: as leis de Newton aplicadas ao teu corpo.

  • 21 de fevereiro de 2018

Já sentiu aquela dorzinha chata na canela? Lembra quando você se perguntava se usaria as aulas de física para alguma coisa? O que tem uma coisa a ver com a outra? Tudo! Você sabia que as leis de Newton podem te ajudar a reduzir a canelite?

 

Quase todo corredor de rua experimentou essa dor na canela, parece que é no osso, no músculo… o que, de fato, é a canelite?

 

A canelite é uma inflamação do osso da tíbia, seus músculos ou tendões, a canela. É caracterizada por um incômodo, geralmente durante o exercício. É bem comum entre corredores, mas outros esportes de impacto repetido também podem ocasioná-la.

 

E como entender a canelite?

 

Você já viu aquelas propagandas de tênis, em que, para mostrar o amortecimento, a pessoa pisa (pesadamente) com o calcanhar? Eu tenho certeza que você já deu essa pisada forte para testar o novo tênis, não? E, por incrível que pareça, muitos corredores começam forçando essa pisada.

 

Se Isaac Newton chegasse a ver alguma dessas propagandas, faria o possível para convencer-nos a não pisar assim. Repare na imagem que, ao aterrissar, o calcanhar toca o chão e a força de reação é devolvida para as pernas, sobrecarregando, inclusive, os joelhos.

 

Qual a relação entre as propagandas de tênis, Isaac Newton e Canelite? Para correr usamos a Terceira Lei de Newton. Se você não se lembra, vamos aplicá-la à corrida:

 

Quando o teu pé empurra o chão, o chão também empurra o teu pé. Lembra aquele desenho do bloquinho, que o teu professor fazia? Com o nosso corpo acontece igual. Durante a corrida, precisamos tocar o chão com a parte da frente de nossos pés, isso nos gera mais força, combinando nossa massa com a aceleração (Segunda Lei de Newton – o princípio básica da dinâmica).

 

O que acontece é que as pessoas, mesmo pisando com a parte anterior, não cuidam da postura, então a força que o chão faz e que deveria ser sobre o pé, acaba sendo na direção da perna, causando uma vibração na canela, que não estava pronta para receber esse impacto. Repare na figura à direita que, pela posição da perna, o pé toca o chão, mas o centro de massa está para trás, fazendo com que as pernas recebam todo o impacto.

À esquerda, temos uma pisada mais apropriada à prática da corrida. O centro de massa está alinhado ao ponto de apoio (onde o pé toca o chão), isso também auxilia na continuidade do movimento (inércia -primeira lei de Newton).

 

Nas propagandas de tênis, por exemplo, o corredor geralmente toca o chão com os pés muito à frente do corpo e usando os calcanhares, o que pode ocasionar um incômodo logo nos primeiros minutos da atividade. Muitos de nós somos, culturalmente, levados a desenvolver algum tipo de pisada errada, isso porque o humano não considerou o uso de sapatos em sua evolução, e as propagandas de tênis acabam por nos iludir.

Caso a tua pisada precise ser corrigida, existem palmilhas que podem fazer isso. Um fisioterapeuta faz o estudo para o desenvolvimento de uma que seja perfeita para a correção de cada indivíduo.

 

“A palmilha tem o objetivo de corrigir as alterações de marcha provocadas pela ineficiência de uma pisada correta, seja com estímulos proprioceptivos ou mecânicos. A pessoa precisa passar por uma avaliação em que são consideradas a pisada, a postura e a marcha. Ela substitui a palmilha do tênis.”

Santiago Munhos, fisioterapeuta.

 

Se você já sentiu o incômodo da canelite ou tem curiosidade de saber qual o seu tipo de pisada, marca uma hora clicando AQUI.

 

Dan de Araújo é escritor, professor de idiomas e biólogo. O conteúdo apresentado no texto é fruto de pesquisa, devidamente validada pelo fisioterapeuta Santiago Munhos (CREFITO 3-81224-F). Em caso de dúvidas, contate-o!