Lesões no ombro – o que fazer?

  • 31 de Janeiro de 2018

 

Só quem já teve um problema no ombro reconhece o valor dessa articulação. Imagine sua rotina sem o auxílio deles! Tente reproduzir algumas atividades diárias sem movimentá-los. Você já parou para pensar na importância deles? De levantarmos da cama a alcançarmos uma prateleira no supermercado, de lavarmos as louças a  ficarmos sentados diante do computador. Tudo isso depende do trabalho dos ombros…

O ombro é composto de articulações separadas e um considerável grupo de músculos. Essas articulações individuais – esternoclavicular, acromioclavicular e glenoumeral – garantem toda a mobilidade que possuímos. Podemos dividir o ombro em algumas partes, daremos mais destaque para o manguito rotador, grupo de músculos e tendões que auxiliam na estabilização dos ombros e costuma ser campeão em lesões.

“A lesão do manguito rotador é bem expressiva. Normalmente ocorre rompimento do supraespinhal, que nos proporciona levantar e rodar os braços. Quando essa ruptura é parcial, o tratamento, que leva em torno de quatro meses, ajuda a aliviar a dor, melhora a amplitude e fortalece a musculatura do ombro e escápula.”

Santiago Munhos, fisioterapeuta.

Segundo pesquisas, metade dos tenistas sofre com lesões do ombro. Muitos são acometidos pela Síndrome do Impacto. Muitas vezes, o atleta precisa sobrecarregar os ombros com mais de 100% do peso de seu corpo. Um quarto dos tenistas com menos de vinte anos, já foi acometido por algum tipo de lesão no manguito rotador.

“Síndrome do impacto ocorre quando o espaço articular do ombro e músculos que passam por ali são comprometidos, principalmente os tendões do manguito rotador. É muito comum em esportes que exigem muito dos ombros, como o tênis, levantamento de peso, natação, escaladas… O tratamento também é possível sem cirurgia, exceto  quando se tem a ruptura total de um tendão.”

Santiago Munhos – Fisioterapeuta.

E não são apenas os atletas que sofrem com as lesões de ombro. Enquanto você está lendo este texto, é possível que esteja sobrecarregando-lhes. O uso dos smartphones pode ser um grande aliado desses problemas.  Quando passamos muito tempo movimentando apenas os dedos, estamos mais propensos às lesões por esforço repetitivo, as LER. Além dos ombros, os cotovelos e punhos também podem tornar-se doloridos por conta desses esforços.

“Com o avanço da tecnologia, as pessoas passam cada vez mais tempo usando computadores e smartphones. O que faz com que o manguito rotador trabalhe em tensão o tempo todo.”

Santiago Munhos – Fisioterapeuta

 

Muitas pessoas sentem dores no ombro após um longo dia de trabalho e, por não trabalharem utilizando, diretamente, os ombros, não percebem a sobrecarga em que os colocam. Se você sente algum desconforto nos ombros, é muito importante procurar ajuda. Como qualquer problema, é melhor resolvê-lo da maneira menos agressiva. Se aquela dorzinha no ombro te deixa com a pulga atrás da orelha, tire todas as dúvidas clicando aqui.

 

Dan de Araújo é escritor, professor de idiomas e biólogo. O conteúdo apresentado no texto é fruto de pesquisa, devidamente validada pelo fisioterapeuta Santiago Munhos (CREFITO 3-81224-F). Em caso de dúvidas, contate-o!