Qual a relação da minha dor de cabeça com a fisioterapia?

  • 19 de dezembro de 2017

Ter dor de cabeça é algo muito comum na sociedade. A Organização Mundial de Saúde estima que 50 a 75% da população adulta teve alguma episódio de dor de cabeça no ultimo ano.Esta dor de cabeça tem sido historicamente considerada como um problema de ordem médica e, consequentemente, na maioria das vezes, apenas o tratamento com remédios é proposto ao paciente. Entretanto, especialista em dor orofacial e disfunção da articulação temporo-mandibular (ATM) tem grande importância no diagnóstico e tratamento de muitos casos de cefaleias.

As pessoas que sofrem de enxaqueca nem imaginam que esta dor por estar diretamente relacionada com uma disfunção da ATM, alguns estudos mostram a relação direta de disfunção temporo-mandibular (DTM) com dores específicas de cabeça e enxaqueca.

As dores relacionadas à DTM podem ter origem na cápsula articular e na musculatura adjacente. Algumas de suas possíveis causas são: microtrauma; macrotrauma; oclusão anormal; anormalidades do disco e das superfícies articulares; hábitos parafuncionais (tal qual o bruxismo); estresse; ansiedade; além de outras condições que possam causar inflamação ou lesão à cápsula articular, ligamentos ou causar espasmo muscular nas áreas adjacentes à ATM. Fatores sistêmicos tais quais artrite, artrose, distúrbios neurológicos, metabólicos e nutricionais podem também contribuir para o aparecimento do quadro álgico, assim como problemas hormonais, idade, má adaptação à protetização dentária ou espasmo dos músculos mastigatórios. O diagnóstico da DTM deve contemplar a palpação cuidadosa da ATM (observando alterações e desvios na articulação), dos músculos da mastigação e do pescoço.

As principais queixas de pacientes com DTM contemplam a dor articular (45%), dor muscular (12,5%), dificuldade de abertura bucal (7,5%) e dor de ouvido (7,5%). Outras queixas (27,5%) incluíram o deslocamento da ATM, dor durante a mastigação, ruído na ATM e dor facial. Quanto à presença de sinais e sintomas, os mais frequentes foram ruído (95%), dor articular (82,5%) e ocorrência de cefaleia (77,5%).

A fisioterapia especializada em DTM trata justamente desses casos, em que o paciente apresenta esses sintomas, vai ao médico e nada é resolvido com o tratamento farmacológico

Se você ao ler esse texto se identificou agende logo uma consulta, seu sofrimento pode estar acontecendo por falta de informação e tratamento adequado.