Como combater as dores na coluna durante a gravidez?

  • 7 de Março de 2018

 

No século XX, as taxas de natalidade e fecundidade do Brasil estiveram entre as mais altas do mundo. Hoje, enfrentamos uma queda nos índices, quer por planejamento familiar, financeiro, ou por opção de muitas mulheres em não ter filhos. Tanto as que consideram quanto as que repudiam a ideia, pensam em todas as consequências sociais, econômicas e físicas. O famigerado milagre da vida é cercado por mistério, palpiteiros e uma série de impactos na saúde. Conversamos com a doutora Thatyane Cunha, que nos contará quais são as alterações no corpo da gestante, além do fisioterapeuta Santiago Munhos, que desenvolve um trabalho com suas pacientes, durante esses belos meses na vida de uma mulher.

A decisão de ser mãe deve ser pensada. Primeiramente porque tornar-se responsável por outra vida altera completamente a tua percepção de mundo e é crucial colocar o filho em primeiro lugar e tomar as decisões que favoreçam o bom desenvolvimento da criança. É bom considerar as batalhas fisiológicas que esperam. Para isso, a doutora Thatyane nos elucidará algumas questões.

A frequência cardíaca da gestante aumenta, sendo mais expressiva no último trimestre da gravidez.

“Uma boa dica para a gestante é ficar deitada para o lado esquerdo, ajudando na liberação da veia cava. Há, também um aumento da coagulação sanguínea, como ‘contenedor’ do sangramento fisiológico do parto, porém aumenta também o risco de trombose. ”
Dra. Thatyane Cunha – Ginecologista, obstetra e mastologista.

O fisioterapeuta Santiago Munhos diz que “com a fisioterapia, é possível melhorar a circulação e reduzir o inchaço das pernas e pés.”

Além da questão vascular, uma das mais importantes características é a mudança no centro de gravidade e da marcha, chamada de marcha anserina – sabe aquele andar de pata?. A produção de relaxina, um hormônio que causa frouxidão de diversos ligamentos, acaba desestabilizando a coluna, ocasionando maior tensão nos músculos das costas.

“Esse relaxamento também afeta diversas articulações, desde a pelve até os pés. A musculatura abdominal pode separar-se e perder força, exigindo ainda mais dos músculos das costas. Além disso, o aumento de hormônios como estrogênio e progesterona podem causar dores articulares Cerca de 60% das gestantes sentem dor nas costas. A marcha anserina pode causar lordose e contínua flexão do pescoço.”
Dra. Thatyane Cunha.

Caso você já apresente algum tipo de problema na coluna, a gravidez pode intensificá-lo ainda mais, como foi o caso da Mariana, que já tinha protrusões (saiba o que são clicando AQUI):

“A medida que a barriga crescia, eu sentia mais dores no pescoço. Isso desde a minha primeira gravidez. Na segunda, decidi tratar com fisioterapia, já que remédios durante gestação não eram opção válida. Comecei a tratar com o Santiago e, além de tudo, as dores que eu sentia antes nunca mais voltaram. Quando dão algum sinal, faço os exercícios que ele me passou e pronto, já passam.”
Mariana Pimenta – Dentista.

Como você pode ler AQUI, dentistas têm maior facilidade em desenvolver problemas na coluna. Mariana foi muito prudente em procurar o tratamento durante a gravidez; como a Dra. Thatyane e Santiago disseram, a alteração no centro de massa e o crescimento da barriga impactam na postura da gestante.

“Nós fazemos o trabalho para evitar dores lombares, fortalecer as pernas para o ganho de peso e, inclusive, desenvolvemos a musculatura do braço, para carregar o bebê depois do parto e evitar uma tendinite por movimentos repetitivos.”
Santiago Munhos – Fisioterapeuta.

Mais uma vez, podemos ver que a fisioterapia é uma aliada fortíssima no combate a possíveis problemas. É de extrema importância que você, que planeja engravidar, inclua a fisioterapia no período da gestação. Esse pequeno grande gesto pode ser o fator decisivo para que esses sejam os melhores meses da tua vida!

Aproveita e compartilha o texto com as futuras mamães!

Dan de Araújo é escritor, professor de idiomas e biólogo. O conteúdo apresentado no texto é fruto de pesquisa, devidamente validada pelo fisioterapeuta Santiago Munhos (CREFITO 3-81224-F) e pela Doutora Thatyane Cunha (CRM – 148119) . Em caso de dúvidas, contate-os!